“A gente quer colocar o nosso povo, a nossa cor na passarela”, diz Yngrid sobre Desfile de moda Favela Fashion Zic

Casa do Hip Hop e artistas locais lançam coleção de roupas exclusivas durante a V Semana

Por Lucas Zanetti
Fotos: Thamires Motta

“Pra quem acha que favela não curte moda, tai uma prova. Nós curtimos o bang e ainda temos bom gosto”. Este foi o discurso de Yngrid Suellen, co-idealizadora do desfile “Favela Fashon Zic”, que aconteceu no último sábado, 7 de novembro, na Estação Ferroviária durante a V Semana do Hip Hop de Bauru.

IMG_2307
Yngrid Suellen na abertura do desfile

“Nós não nos somos representadas no mundo da moda. A gente quer colocar o nosso povo, a nossa cor lá na passarela. Nosso povo preto, pobre e periférico”, explica Yngrid, que também é estudante de moda e oferece oficinas de customização de roupas na Casa do Hip Hop. “Eu quis inserir o movimento Hip Hop na moda porque a gente também gosta de se vestir bem, só que as pessoas não reconhecem isso, infelizmente’’, completa.

IMG_2291

“O maior motivo é mostrar que a gente está vivo não só para o público do Hip Hop, mas para quem está de fora também”

O evento contou com o lançamento da nova coleção de camisas da Casa do Hip Hop, inspirada em militantes e personalidades do movimento negro como Zumbi dos Palmares, Nelson Mandela, Marighella, Malcolm X e Carolina de Jesus, sendo desenvolvidas pelo dono da BlackStar Design e designer da Casa do Hip Hop, Robinson Oliveira, conhecido como Robinho. “O maior motivo é mostrar que a gente está vivo não só para o público do Hip Hop, mas para quem está de fora, mostrar que a gente tem capacidade de desenvolver coisa legal”, explica Robinho.

Além da nova coleção, o desfile também contou com as camisetas personalizadas dos grupos Além da Rima, Ment Blindada, JotaF&Black Thing Skateboarding DJ Ding e P.D.G Records. O evento também contou com a participação especial da Bauru Breakers Crew dançando e se apresentando antes dos desfiles, som da discotecagem black music do DJ Moonhbeat’s.

IMG_2207 IMG_2267 IMG_2293

Para quem desfilou, o “Favela Fashon Zic” também representou. Os modelos da Casa do Hip Hop tiveram liberdade para desfilar da maneira que acharam melhor, sem ficarem presos aos desfiles de moda tradicionais. Muitos utilizaram elementos do breaking em suas apresentações, que renderam aplausos e delírios do público. “Cada um desfilou no seu estilo. Isso que eu achei daora. Você desfila, faz a pose do jeito que quiser”, explica a modelo Ana Gabriela Rodrigues.

A nova coleção da Casa do Hip Hop conta com modelos adultos e infantis unissex, e pode ser adquirida por preços acessíveis entre R$ 30,00 e R$ 60,00 durante toda Semana do Hip Hop ou na Casa do Hip Hop. Os modelos são limitados.

IMG_2118 IMG_2264

 

*O desfile foi idealizado e organizado por Yngrid Suellen e Jéssica Rabello

*Veja todas as fotos no Facebook da Semana do Hip Hop de Bauru

 

AlemdaRima, muito além do show


Por Mariana Lacava
Fotos: Lucas Rodrigues e Felipe Amaral

AlemdaRima, DJ Ding e DJ Shinpa abrem a V Semana do Hip Hop com muito rap nacional de qualidade, mostrando a forma que o interior paulista tem e o quão influente é a música que sai da nossa cidade.

DJ Ding, residente da Casa do Hip Hop de Bauru e um dos produtores culturais essenciais na cidade permanceu ao lado de DJ Shinpa, atual vice-campeão do DMC Brasil, um dos maiores campeonatos de DJ do mundo. Ambos prestigiaram a abertura da Semana do Hip Hop 2015 lá na Estação, tocando muitos clássicos e inovações autorais. 

O grupo AlemdaRima conta com os integrantes Henrique Thomas e Allisson Ferreira, que há cinco anos desenvolve trabalhos em Bauru por meio da cultura Hip Hop na cidade. Ainda muito jovens, acreditam que todo esse processo evolutivo no movimento social cultural se deu por conta da formação e da militância que as edições anteriores da Semana do Hip Hop proporcionaram através de oficinas, debates e worskshops.

Henrique e Alisson começaram no Hip Hop por causa do amor e da habilidade com a musicalidade negra e as rimas. Sobre a Semana do Hip Hop, Henrique destaca que o festival deve um papel crucial na sua formação. “A gente aprendeu a ser militante, aprendemos sobre o que é a cultura de verdade, em suas raízes. Acompanhamos as outras edições desde o começo, brigamos pra virar lei, aprendemos como fazer, estávamos todos juntos brigando por isso. Participamos da construção da Semana desde as primeiras, de forma mais completa e nisso fomos nos desenvolvendo também como artistas, como grupo. As semanas do Hip Hop de Bauru são, pra nós, um grande marco em nossa carreira e em nossas vidas”, afirma.

IMG_9738
Allisson. Além da Rima.

Allisson complementa dizendo que aprendeu a trabalhar em conjunto e que isso o ajudou muito crescimento do grupo e pessoal. “Na nossa carreira a maior influência da Semana é o aprendizado, a experiência com palco, com produção de show essas paradas, bastidores…”

Formação. A Semana do Hip Hop de Bauru é um projeto que vem crescendo muito conforme os anos e nesta quinta edição apresenta uma forte programação de formação e militância por meio da cultura Hip Hop. Sobre a distância da capital e como isso influenciaria a produção musical, Henrique acredita que as influencias são positivas. “Não que influencie muito o conteúdo, mas acho que a distância é outro universo né, o interior é outro universo perto das grandes capitais. Por mais que a gente seja parecido não é a mesma coisa, então acaba que a gente desenvolve uma outra forma de fazer a parada, uma forma que realmente aborde nosso público daqui, que é diferente do público de lá.”

IMG_9751

“Num evento como a Semana, a gente agrega pessoas que não conheciam o movimento com pessoas que já conhecem, as pessoas que gostam e tem interesse, sabe? A gente mostra pra elas que existem pessoas que trabalham e que lutam pra desenvolver a cena”, afirma Henrique. A cena local é muito importante para a formação não só de público, mas principalmente de militantes e de jovens críticos, artistas, produtores. “Nossa cidade tem Hip Hop de qualidade, tem graffiti, tem DJ, tem MC e tem b.boy pra caramba”, afirma.

Realização pessoal. O show do AlemdaRima foi muito esperado pelo público e pelos jovens do grupo, por conta de todo o envolvimento desde a construção das primeiras Semanas até se apresentar no palco, hoje, cinco anos depois. Allisson pontua ainda que essa edição, por ser a maior até hoje, proporcionou pra eles um grande aprendizado e evolução pessoal e profissional.  “Foi ‘sem palavras’ abrir o palco dessa semana, como o próprio nome do nosso novo disco diz, ‘Abrindo a trilha’, conseguimos chegar com músicas novas e foi muito emocionante ver as pessoas cantando nossa música, foi um bagulho emocionante, ver que o Hip Hop esta realmente chegando a diversos pontos da cidade e não só da nossa cidade…”, sonha.

Vinão, convidado pelo Além da Rima
Vinão, convidado pelo Além da Rima

Hoje a missão foi “dar o primeiro toque na bola em final de copa do mundo”, segundo Henrique. “A questão de ter o maior ou menor palco, ou maior público, não é importante pra nós, não tem isso. A gente quer ajudar a construir e desenvolver a cena do nosso jeito, mas o nosso foco é o nosso pessoal, nosso público que é a nossa família. Foi muito emocionante e muito gratificante toda essa energia e movimento bonito que rolou hoje aqui… Nossa, é uma honra tremenda pra nós”.

Esse primeiro dia da V Semana do Hip Hop foi mesmo recheada de muito rap nacional com as apresentações dos grupos Renegados Mc’s e AlemdaRima, levando a galera ao máximo da emoção com muita música e energia do bem. A exposição de Graffiti “Quem é quem” também trouxe muita cultura aos nossos olhos, reunindo 10 artistas locais e regionais.

Renegados MCs
Renegados MCs

A batalha de MC levou ainda mais emoção para o público, fechando as atividades do primeiro dia da Semana do Hip Hop Bauru 2015.

E não para por aí! Hoje ainda tem Encontro de Graffiti no Viaduto da Nações Unidas,  Cortejo Hip Hop,  II Fórum Nacional de Hip Hop de Bauru e o Desfile de moda urbana “Favela Fashion Zic”.

Confira a programação completa no nosso site >> http://bit.ly/1MafXg3

A V Semana do Hip Hop já está chegando!

Com oficinas e debates, a Semana Municipal do Hip Hop de Bauru chega à sua quinta edição com grandes shows e mostra audiovisual

2015 é o ano do Hip Hop e em Bauru, movimento se consagra como um dos maiores articuladores políticos, culturais e sociais da cidade. Entre os dias 6 e 15 de novembro, acontecerá mas uma edição da Semana Municipal do Hip Hop de Bauru.

Depois de mais de 20 anos de luta, em agosto inauguramos a Casa do Hip Hop de Bauru e para celebrar mais esta conquista, a V Semana Municipal traz shows de artistas regionais e de renome nacional como Rapadura MC, Inquérito, Thaíde e Emicida. No palco Interior tem voz, contaremos com a participação especial de Crônica Mendes e convidados. Em parceria com o SESC, haverá também o show inédito de Tásia Reis, na quarta-feira 11 de novembro, representando a força e o poder das mulheres na cultura Hip Hop.

Há dois anos, a Semana Municipal de Hip Hop de Bauru se tornou política pública por meio de mobilização social pela criação e aprovação da Lei 6258/2013. Dessa maneira, a Secretaria de Cultura se tornou uma parceira para a realização da III Semana Municipal do Hip Hop naquele ano e de lá para cá, a parceria e as atividades conjuntas só tem aumentado.

todos
Semana 2015 traz Inquérito, Thaíde, Crônica Mendes, Rapadura, Tássia Reis, DJ Erick Jay e Banks Back Spin

Formação, política e economia. Desde 2011, a Semana Municipal do Hip Hop de Bauru é organizada pelo Ponto de Cultura Acesso Hip Hop de maneira independente, horizontal e repleta de parcerias. Uma das atividades consagradas do festival é a realização do Combo 5 Elementos nas escolas municipais e estaduais da cidade durante a Semana do Hip Hop. O projeto leva conhecimento e mini-oficinas dos cinco elementos do Hip Hop (graffiti, breaking, DJ, Rap e conhecimento) para escolas municipais e estaduais, incluindo centros de reabilitação. O projeto  também conta com a participação da Frente Feminina de Hip Hop de Bauru que levanta questões de gênero para estudantes das escolas, chamando atenção para igualdade de gênero e para a violência doméstica como um problema social e coletivo.

Além disso, o festival também traz importantes debates sobre o movimento Hip Hop regional e sobre os movimentos negro e periférico. Em 2015, acontecerá a I Feira de Economia Solidária de Produtos do redeHip Hop  do Estado de São Paulo, durante os últimos dois dias da Semana. Ao longo do sábado, 14 de novembro, também acontecerá um debate sobre Economia Solidária com representantes da Rede Nacional das Casa da Cultura Hip Hop e Empreendimentos Solidários, professores universitários e pequenos empreendedores.

Neste ano, a Casa do Hip Hop de Bauru também tem uma novidade muito especial, ainda vinculada à economia solidária e à sustentabilidade do meio ambiente e dos modos de produção. No dia 07 de novembro acontecerá o lançamento da coleção oficial de roupas da instituição, na Estação ferroviária. Com estampas originais e desenvolvidas especialmente para o público bauruense, o desfile de moda “Favela Fashion Zic” privilegia os elementos da cultura e ícones de resistência.

Outro momento importante é a realização do II Fórum Municipal de Hip Hop de Bauru, que acontecerá no SESC, também no dia 7, para o levantamento de demandas, análises de conjuntura do movimento local e balanço de conquistas no último ano. Também serão exibidos documentários e filmes como Profissão MC, Dogtown e O Rap pelo Rap, nos bairros Mary Dota, Bauru 22 e na Casa do Hip Hop.

Programação. A Semana Municipal do Hip Hop de Bauru vai acontecer de 6 a 15 de novembro, com TODAS as atividades gratuitas na Estação Ferroviária, Casa do Hip Hop de Bauru, Sesc Bauru e parque Vitória Régia.

Dia 6/11 – Sexta-feira

Abertura da Exposição “Quem é quem?” do Coletivo Urbano de Arte- CURA de São Paulo.
Horário: 19h. 
Local: Estação Ferroviária de Bauru.

Cine Hip Hop
Filme: Os Reis de Dogtown (história do skate nos EUA)
Horário: 20h Local: Centro Unificado das Artes e do Esporte – Rua Maria José Silvério dos Santos com Avenida Lúcio Luciano, Bauru 22/ região do Jardim Redentor

Show Além da Rima e Banda.
Horário: 21h. 
Local: Estação Ferroviária de Bauru.

Dia 7/11 – Sábado

Encontro Estadual de Graffiti
Horário: 9h. Local: Viaduto Nuno de Assis

Cortejo Hip Hop
Horário: 10h. Local: Calçadão da Batista de Carvalho.

II Fórum Municipal de Hip Hop de Bauru
Horário: 14h. Local: Sesc Bauru (Av. Aureliano Cárdia 6-71)

Desfile de moda urbana “Favela Fashion Zic”. Lançamento da coleção de moda Casa da Cultura Hip Hop de Bauru. DJ Moonhbeats
Horário: 20h. Local: Estação Ferroviária de Bauru 

Dia 8/11 – Domingo

Abertura Cultural da Semana do Hip Hop 2015

Shows com Inquérito, Rapadura, Thaide, Issa Paz e Brisa Flow
Horário: 14h. Local: Parque Vitória Régia

Dia 9/11 – Segunda-feira
Combo dos 5 Elementos
Horário: 9h. Local: Escola Estadual Morais Pacheco. (R. Primeiro de Maio, 16-10. Parque Boa Vista)

Combo dos 5 Elementos
Horário: 14h. Local: Escola Estadual Morais Pacheco. (R. Primeiro de Maio, 16-10 – Parque Boa Vista)

Oficina de Fanzine
Horário: 14h
Local: Casa do Hip Hop Bauru

Mesa redonda com o tema “Redução da maioridade penal e genocídio da população preta, pobre e periférica”
Horário: 20h. Local: Centro Cultural de Bauru

Dia 10/11 РTer̤a-feira
Combo dos 5 Elementos
Horário: 9h. Local: Sorri Bauru. (Avenida Nações Unidas, 53-40 – Geisel)

Combo dos 5 Elementos
Horário: 14h. Local: Sorri Bauru. (Avenida Nações Unidas, 53-40 – Geisel)

Oficina de Fotografia
Horário: 19h. Local: Casa do Hip Hop Bauru

Oficina de Capoeira Angola
Horário: 19h30. Local: Casa do Hip Hop Bauru

Oficina de MC com JotaF e RapNobre
Horário: 19h30. Local: Casa do Hip Hop Bauru

Cine Hip Hop
Documentário O Rap pelo Rap
Horário: 20h. Local: Casa do Hip Hop

Dia 11/11 – Quarta-feira
Combo dos 5 Elementos
Horário: 9h. Local: Escola Estadual Ver. Antônio Ferreira de Menezes. R. Cap. Mario Rossi, 9-37

Oficina de Graffiti
Horário: 9h. Local: Casa do Hip Hop Bauru

Combo dos 5 Elementos
Horário: 14h. Local: Escola Municipal

Oficina de Dj com DJ Ding
Horário: 14h. Local: Casa do Hip Hop Bauru

Bate Papo: Produção Independente e mulheres no Hip Hop com Tássia Reis e Frente Feminina de Hip Hop de Bauru
Horário: 19h. Local: Sesc Bauru

12115614_185735578430356_237330865507897265_nShow com Tássia Reis
Horário: 21h. Local: Sesc Bauru

Dia 12/11- Quinta-feira
Combo dos 5 Elementos
Horário: 9h. Local: Escola Profª Ada Cariani Avalone.  Av. Dr. Marcos de Paula Rafael, 1. Mary Dota.

Combo dos 5 Elementos
Horário: 14h. Local: CIPS Bauru. R. Inconfidência, 2-28 – Centro

Oficina de DJ com DJ Scratch
Horário: 14h. Local: Casa do Hip Hop Bauru

Oficina de Stencil
Horário: 14h. Local: Casa do Hip Hop Bauru

Celebração do Dia Mundial do Hip Hop. Apresentação dos 4 elementos que compõe a Cultura Hip Hop, Rap, Breaking, Graffiti, Dj + Batalha de Mcs.
Horário: 20h. Local: Casa do Hip Hop de Bauru

Dia 13/11 – Sexta-feira
Combo dos 5 Elementos
Horário: 9h. Local: Escola Municipal Geraldo Arone.  R. João Prudente Sobrinho – Nucleo Hab. Fortunato Rocha Lima, Bauru – SP

Oficina de Graffiti
Horário: 9h. Local: Casa do Hip Hop de Bauru

Combo dos 5 Elementos
Horário: 14h. Local: 13/11- 14h30 – Legião Mirim Endereço: Av. Dr Nuno Assis, 13-50

Sarau do Viaduto especial Semana do Hip Hop com Banks Back Spin
Horário: 20h. Local: Avenida Nações Unidas, embaixo do viaduto da Duque de Caxias

Dia 14/11 – Sábado

Cortejo Hip Hop
Horário: 10h. Local: Calçadão da Batista de Carvalho

Batalha de Breaking
Horário: 13h. Local: Casa do Hip Hop Bauru

I Feira de Economia Solidária de produtos do Hip Hop do Estado de São Paulo.
Horário: 14h-22h. Local: Parque Vitória Régia

Palco Interior tem voz
Shows com Crônica Mendes, CURA, Preta Rara e outros.
Horário: 17h
Local: Anfiteatro Vitória Régia

Dia 15/11 – Domingo

I Feira de Economia Solidária de produtos do Hip Hop do Estado de São Paulo.
Horário: 14h-22h. Local: Parque Vitória Régia

Encerramento da Semana Municipal do Hip Hop 2015
Shows com Emicida + Grupos de Bauru.
Horário: 14h. Local: Parque Vitória Régia

Realização.  A V Semana Municipal do Hip Hop de Bauru é realizada em parceria entre Ponto de Cultura Acesso Hip Hop, Casa do Hip Hop de Bauru, Secretaria Municipal de Cultura, patrocínio Loja Ophicina e promoção da TV TEM.

Menti Blindada lança seu primeiro DVD no Estação Hip Hop de Outubro

Em mais uma edição do Estação Hip Hop, Menti Blindada lança seu primeiro DVD com a presença de convidados especiais

Por Luana Protazio e Beatriz Benedito
Fotos: Thaiane Cuba

Dessa vez o evento foi marcado pelo lançamento oficial do DVD do grupo de rap bauruense Ment Blindada e por apresentações de artistas convidados. Mesmo sendo domingo e segundo dia de provas do ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio, aos poucos pessoas de todas as idades foram enchendo o saguão da antiga Estação Ferroviária da cidade, fazendo dessa edição uma das mais lotadas em termos de público e energia.

Já no embalo da discotecagem do DJ residente da Casa do Hip Hop Bauru, o DJ Ding, as apresentações deram início com o rap pesado do grupo Além da Rima que, com participações de David MC no novo som “Essa mulher”. BetinMC também participou com clássico “Pelo que te faça bem”, abrindo a trilha para as demais apresentações.

Foto: Thaiane Cuba
Foto: Thaiane Cuba

BetinMC foi responsável pelo segundo grande show da tarde, ao lado do seu irmão Moonh Beats e de Gui ao violão. Betin apresentou músicas que o público já conhece, canta e vibra junto do começo ao fim, como o som “Rap como Vício” e “De vez em quando”.

Thiago NGO, que recentemente fez o pré-lançamento do seu álbum solo “Na Missão” no Rap Hour de outubro, trouxe uma pegada mais leve no fim de tar, ao iniciar seu show com a música “Mãe”, uma homenagem à dona Neide presente no evento.

Thiago NGO. Foto: Thaiane Cuba
Thiago NGO. Foto: Thaiane Cuba

Fechando as apresentações, o grupo Ment Blindada fez um show incrível que levou todo mundo ao auge. Darlinho, filho do MC Darlão, se apresentou com o grupo durante todo o show, mostrando uma grande presença de palco e potencial para ser um futuro MC. Nerso do Rap fez uma participação especial com o grupo, deixando a apresentação ainda mais pesada. Ment Blindada trouxe seus clássicos “Na Brisa do Rap” e “Os mlk zika” para o palco e emocionou o público com a canção “Festa no Céu”, um apanhado de trechos e citações em homenagem aos grupos de rap de Bauru. Em pleno domingo, Ment Blindada fez o público se envolver e mostrou que o lançamento do DVD do grupo não poderia vir em melhor hora.

12189528_920405708040498_4379329361392924432_n
Foto: Thaiane Cuba

 

Ponto de Cultura e o Hip Hop em Bauru: uma parceira

Antiga sede do Ponto de Cultura Acesso Hip Hop em 2012
Antiga sede do Ponto de Cultura Acesso Hip Hop em 2012

Texto e fotos por Keytyane Medeiros para e-Colab*

Articulação, sócio-desenvolvimento cultural e descentralização. Estas são as palavras de ordem de qualquer Ponto de Cultura espalhado pelo país, no entanto, qual é a origem desse programa e como funciona? Fruto do desejo de descentralizar o fazer artístico no Brasil, os Pontos de Cultura não têm um modelo único ou programações pré-determinadas pelo Ministério da Cultura. Podem funcionar em qualquer lugar, desde que os coordenadores e responsáveis prestem contas ao governo do que estão fazendo com o dinheiro público para a melhoria da comunidade em que vivem. Nada mais razoável.

Renato Magu no Ponto de Cultura Acesso Hip Hop

Com pouco mais de um ano de existência, o Ponto de Cultura Acesso Hip Hop, está em intensa atividade. Coordenado por Renato Moreira, também conhecido como Magu, o ponto funciona como “aglutinador”, unindo jovens com vontade de fazer arte e profissionais com recursos para a produção e divulgação desse material. Magu nos conta que o Acesso está produzindo três documentários, além de ter lançado recentemente o primeiro CD do rapper Coruja BC1.

Além de produzir clipes, documentários e discos, o Ponto de Cultura também realiza atividades nas comunidades carentes de Bauru, como é o caso do Projeto Ensaio. Nele, alguns integrantes do Acesso vão até o bosque do bairro Presidente Geisel dar oportunidade para que jovens possam expressar sua arte com o material de estúdio do Ponto. Magu destaca que “não somos organizadores de eventos, somos organizadores de vida”, e apesar do Projeto ocorrer a cada 15 dias, não se trata de uma oficina destinada ao ensino de técnicas de rap ou grafitti, e sim de um momento para dar oportunidade de trabalho aos militantes do movimento Hip Hop na cidade.

Entre os trabalhos desenvolvidos pelo Ponto de Cultura está o documentário e o clipe da música “A Praga do Século” do rapper Dom Black, a gravação do CD do grupo Além da Rima, um documentário sobre o assentamento de terra e os 15 anos de atuação do MST, o Projeto Doação Simultânea também em parceria com a organização e outros projetos socioculturais.

O Ponto de Cultura Acesso Hip Hop está localizado na Rua Maria José, junto ao Instituto Acesso Popular, na região central de Bauru. É só chegar e conversar, Magu, CorujaBC1 e seus amigos o receberão de braços abertos.

* publicado originalmente em 14/08/2012

Ernesto Hip-Hop: 2ª Semana Municipal do Hip Hop

5

II Semana Municipal do Hip-hop invade o Geisel no feriado

Texto e Fotos: Higor Boconcelo para o blog e-Colab*

1“Em pleno feriado, meio dia, o cara me passa com essa música no último?”, reclama Gu, quando, como de costume, um carro qualquer corta a Alziro Zarur com o som “estourando”. Não que ele tivesse muita coisa contra Demi Lovato, mas aquele definitivamente não era dia para a música pop no Geisel, já que a II Semana Municipal de Hip-Hop tomava o bairro como palco para as atividades de seu quarto dia de programação.

Du é um dos grafiteiros escalados para exercer sua arte no muro da biblioteca ramal do bairro. Já estava fazendo seu trabalho havia quase meia hora quando o carro passou, o distraindo. Enquanto isso, o outro artista responsável pela grafitagem continuava a manejar a tinta spray.

Paulistano, Sergio Oliveira atua na arte há mais de sete anos. Ambos experientes, porém jovens, estavam trabalhando em uma nova “cara” para a biblioteca, atividade que fazia parte da programação do evento.

3
Graffiti de Sérgio Oliveira

E ainda bem que o fazia. A obra não estava nem metade pronta e já arrancava elogios dos moradores que cruzavam por lá. “Isso nem parecia uma biblioteca! Olha como uma pinturinha já muda tudo”, comentou uma senhora do outro lado da rua. Não houve sequer uma criança que passasse em frente ao ramal sem voltar sua atenção para os jovens que grafitavam. Poucas horas depois, as palavras Biblioteca Ramal já ganhavam seus retoques finais pelos sprays de Sergio, e a obra de Du também estava quase pronta.

Mas se essa rapidez podia ser aplicada ao grafite dos garotos, certamente não era o caso para o que logo ia começar a rolar a poucos metros dali, no Bosque da Comunidade do Geisel. Lá, “o baguio ia estourar a tarde inteira”. Com o grafite já finalizado, ambos foram convidados pela organização à pintar um largo muro do bosque. Se estivessem pensando que seu trabalho estava chegando ao fim, certamente estariam se enganando.

2

A selva tomada

Um palco, duas caixas de som e uma lona por cima formavam uma espécie de tenda, onde iriam subir vários MC’s durante a tarde. O Projeto Ensaio no Bosque estava marcado para começar às 15h, e se dependesse de público, poderia começar até antes.

Em meio às árvores do local havia todo o tipo de morador para prestigiar o evento. Crianças, famílias com seus cães, jovens e a dupla de grafiteiros, que já reiniciava sua arte nos muros da selva urbana.

O primeiro a mandar as rimas e as batidas foi o MC Vurto, abrindo a tarde de apresentações. A quadra de basquete onde o palco estava montado logo começou a ser preenchida de gente, vinda ora do próprio bosque (diga-se de passagem, grande), ora das próprias ruas do bairro.

4

Em cima de um tapete quadriculado, os adeptos do breaking não paravam de rodar. Meia dúzia jogavam basquete na outra metade livre da quadra. As cabeças reagindo de maneira positiva às rimas que se propagavam.

Era assim com cada MC que subia naquele palco para executar suas próprias rimas. O rap independente mostrava naquela tarde a sua força – a maioria do público conhecia as letras compostas pelos artistas que, há alguns minutos atrás, também estavam curtindo outro MC rimar.

Seguiu rimando o MC Thigor, dando lugar depois para Betim. Após, foi a vez do RapNobre emendar rimas que protestavam contra a futilidade presente nas músicas comerciais e nos costumes da sociedade em geral.

Já conhecido do público, Coruja BC1 subiu ao palco junto do parceiro Dom Black e da dupla Além da Rima, em duas apresentações que mexeram com a galera presente. Ao fim da tarde, subia ao palco mais uma vez para rimar suas composições.

Mais de nove atrações mandaram suas rimas, beats e pensamentos para o público presente no bosque. Os rappers saldaram seus parceiros que vieram os assistir de vários bairros de Bauru, como também de outras cidades. A família do rap comemorou estar reunida novamente, e além disso, a realização da Semana pela prefeitura. Abrir espaço para uma festa de rap independente mostra que os artistas não estão trabalhando em vão, e mesmo que o preconceito ainda exista, os MCs continuam fazendo sua voz subir mais alto que ele. Tão alto que até Geisel deve ter ouvido.

* publicado originalmente em 19/11/2012